Escolha uma Página Menu

Entenda o valor do IOF e como funciona essa taxa

08 out 19 | Institucional

Se você já fez algum tipo de empréstimo, usou o rotativo do cartão de crédito ou o cheque especial, provavelmente se deparou com valor do IOF cobrado. Esse imposto incide sobre uma série de operações no mercado financeiro e pode ter um impacto considerável em seus financiamentos ou compras.

Para não ter mais nenhuma surpresa, é melhor conhecer os detalhes desse tributo e saber exatamente quando e como ele é cobrado. Acompanhe para entender tudo sobre o valor do IOF.

O que é o Imposto sobre Operações Financeiras?

O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), é um tributo federal que existe desde 1966. Ele foi inicialmente criado para taxar remessas de dinheiro ao exterior e transferências entre instituições financeiras. Ao longo do tempo, o IOF foi modificado e passou a incluir também outras operações.

Atualmente, o imposto incide sobre todas as operações de crédito, câmbio e seguro, além de operações referentes a títulos e valores mobiliários. Ou seja, o IOF abrange todo o mercado de compra e venda de moeda estrangeira, seguros, empréstimos, financiamentos e, em alguns casos, investimentos.

A ideia central do IOF é facilitar o controle e acompanhamento do mercado financeiro pelo Governo Federal. Com base no valor do IOF arrecadado, é possível entender como a economia do país está caminhando, qual o crédito disponível e quais são os valores movimentados no mercado financeiro nacional.

No entanto, com o passar do tempo, o valor do IOF também se tornou uma importante fonte de renda para o Governo. Segundo o Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo, em 2018 foram arrecadados mais de R$ 35 bilhões com o IOF.

Quando o IOF é cobrado?

Como já foi dito, o IOF incide sobre as operações de crédito, investimento e câmbio. Confira os detalhes e veja onde você precisa incluir o valor do IOF nos seus cálculos.

Câmbio de moedas

O IOF é cobrado tanto para a compra de moeda em espécie quanto para a compra de moeda estrangeira em cartões pré-pagos, mas com alíquotas diferentes.

Quem compra dinheiro em espécie paga 1,1% de IOF, enquanto quem compra moeda estrangeira nos cartões pré-pagos tem que arcar com 6,38% de IOF. Caso você esteja no exterior e faça um saque da sua conta corrente ou utilize seu cartão na função débito, o valor do IOF também é de 6,38%.

O imposto também é gerado quando você envia dinheiro de uma conta no Brasil para uma conta no exterior. Se o titular da conta no exterior for o mesmo da conta no Brasil, o IOF é de 1,1%. Já se você enviar dinheiro para a conta de outra pessoa, o IOF é de 0,38%.

Compras em moeda estrangeira no cartão de crédito

Quem fizer compras em moeda estrangeira usando o cartão de crédito também paga IOF. Não importa se é uma compra física feita no exterior ou, por exemplo, uma compra feita na internet em um site estrangeiro. Se a moeda da compra não for o Real, haverá cobrança de 6,38% de IOF.

Seguros

O valor do IOF para seguros está limitado a 25%, mas, na prática, os valores costumam ser bem menores. Alguns exemplos são:

  • Seguro de saúde privado: 2%;
  • Seguro de vida: 0,38% sobre o valor do prêmio;
  • Seguros de automóveis: 7,38%.

A boa notícia é que alguns tipos de seguros são isentos de IOF, como aqueles ligados a financiamentos imobiliários.

Crédito rotativo do cartão e cheque especial

Tanto o crédito rotativo do cartão de crédito quanto o cheque especial têm a mesma alíquota de IOF: 0,38% mais 0,0082% por dia em que o crédito for utilizado, limitado a 3%. Ou seja, se você entrar no cheque especial ou atrasar a fatura do cartão por apenas um dia, já pagará 0,38% de IOF.

Mesmo que o seu banco ofereça o benefício de utilizar o cheque especial por alguns dias sem juros, a operação não pode ser isenta do IOF. Por isso, ao final do mês, você será cobrado o valor do IOF sobre todo o período utilizado.

Investimentos

Alguns investimentos são completamente isentos do pagamento do IOF, como a Poupança e as Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio (LCI e LCA). Para outros, existe a cobrança do imposto caso a aplicação seja resgatada em menos de 30 dias.

Em qualquer modalidade, se o dinheiro for investido por mais de 30 dias, não haverá cobrança de IOF. Em menos de 30 dias, há uma tabela progressiva diária. Se o prazo de investimento for de apenas 1 dia, o valor do IOF será de 96% do rendimento.

Com 15 dias, o valor do IOF já caiu para 50% do rendimento. A cada dia investido, o valor do IOF cai até que, com 30 dias, o IOF é zerado.

Empréstimos e financiamentos

Para os empréstimos e financiamentos, há uma parte fixa de 0,38% e uma parte variável de acordo com o tempo de pagamento, que é de 0,0082% ao dia, limitado a 3%. Veja a seguir como calcular o valor do IOF.

Como é calculado o valor do IOF?

A base de cálculo do IOF depende de cada operação. Por exemplo, no câmbio, a base de cálculo é valor total em reais que foi transferido. No rotativo do cartão de crédito, a base de cálculo é o valor que ficou atrasado — é o valor total da fatura menos o valor que você pagou.

Nos seguros de vida, a base de cálculo é o prêmio total, e o valor do IOF será cobrado no momento da contratação. No empréstimo pessoal, a base de cálculo é o valor total do crédito. Sabendo qual é a base de cálculo, basta multiplicar pela alíquota e você terá o valor do IOF a ser pago. Veja um resumo das principais alíquotas.

Qual é o valor do IOF para empréstimo pessoal?

Como já falamos, no empréstimo pessoal, o valor do IOF é de 0,38% mais uma taxa de 3% ao ano, que se traduz em uma taxa de aproximadamente 0,0082% por dia. Essa parte variável está limitada a 365 dias, isto é, mesmo que o empréstimo tenha um prazo de pagamento maior que um ano, o valor do IOF total está limitado a 3,38% do valor do crédito.

Traduzindo, isso significa o valor de 0,38% só depende do valor total do empréstimo — não importa se você pagar o empréstimo no mesmo dia ou em 5 anos, você paga os mesmos 0,38%. Já a segunda parte é variável e o valor em reais vai depender do prazo de pagamento do empréstimo.

Se o prazo de pagamento for igual ou superior a um ano, o valor do IOF é de 3,38%. Se o prazo for menor que um ano, calcula-se o valor do IOF com base no tempo de pagamento em dias. Veja dois exemplos.

Prazo de pagamento superior a 1 ano

  • Valor do empréstimo: R$ 2.000
  • Prazo de pagamento: 2 anos
  • Alíquota do IOF: 0,38% + 3% = 3,38%
  • Valor do IOF: R$67,60

Prazo de pagamento inferior a um ano

  • Valor do empréstimo: R$ 2.000
  • Prazo de pagamento: 6 meses (182 dias)
  • Alíquota do IOF: 0,38% + 182 x 0,0082% = 1,87%
  • Valor do IOF: R$ 37,40

O IOF incide apenas sobre o valor nominal do empréstimo, e não sobre os juros cobrados. Quando você contrata o crédito pessoal, o valor do IOF já está incluído nas parcelas do empréstimo e você não precisa pagá-lo separadamente.

Vale mencionar, ainda, que o Governo Federal pode mudar o valor do IOF por meio de um Decreto Presidencial. Por exemplo, até 2015 o valor da taxa variável era de 1,5% ao ano, e foi elevada para 3% ao ano para empréstimos feitos por pessoas físicas.

Por que preciso prestar atenção em todas essas taxas?

Porque um produto financeiro é composto não apenas do valor nominal de juros, mas também de uma série de tributos e, frequentemente, de taxas administrativas cobradas pelas instituições financeiras. Todas essas taxas pesam no valor final a ser pago e, se você não prestar atenção, pode ter surpresas desagradáveis.

Para evitar isso, todas as instituições são obrigadas a informarem aos seus clientes o Custo Efetivo Total (CET) da operação. O CET também é dado em percentual e inclui todos esses custos extras. Na hora de contratar um empréstimo ou um financiamento, fique de olho nele!

Além disso, como você deve ter percebido, o valor do IOF é mais um motivo para você fugir do rotativo do cartão de crédito e do cheque especial. Além dos altos juros, você está pagando imposto sobre os valores devidos. Por isso, evite ao máximo utilizar esses recursos.

Por fim, vimos que valor do IOF no crédito pessoal é de 0,38% do valor total, mais uma taxa diária de 0,0082%. Para ter certeza do quanto está pagando no crédito pessoal, confira sempre o CET do empréstimo.

Aqui na Geru, buscamos sempre transparência e informação quando se trata do seu empréstimo pessoal, assim você não precisa ter medo de se deparar com essa ou aquela taxa para encarecer seu empréstimo. Quer saber mais? Veja porque a Geru é confiável e conheça as vantagens de fazer um empréstimo pessoal online.

%d blogueiros gostam disto: