Escolha uma Página Menu

Cuide da sua saúde financeira em 7 passos

14 maio 19 | Finanças

Você passa muito tempo pensando na sua saúde financeira mas vive com dúvidas sobre ela? Se você está passando por problemas financeiros, é necessário começar a fazer mudanças em seu estilo de vida.

Mas o que significa ter uma boa saúde financeira? É uma combinação de entender onde você está financeiramente, gastar menos do que ganha e ter confiança na sua capacidade de tomar decisões financeiras (com ou sem a ajuda de um profissional).

Se você quiser reduzir o estresse e ansiedade sobre suas finanças, separamos 7 passos para manter sua saúde financeira em dia! Veja só:

1. Defina um limite de despesas para controlar gastos excessivos

Se você tem muito hábito de gastar, precisa repensar isso! Gastar mais do que tem é um grande obstáculo em seu caminho para uma saúde financeira sólida. Afinal, é muito difícil ganhar dinheiro, mas é fácil gastar — sem dúvidas, você já deve ter ouvido o ditado “dinheiro na mão é vendaval“.

Você pode seguir alguns truques simples para evitar ser um gastador:

  • Diferencie suas necessidades básicas e desejos. Suas necessidades são tudo aquilo sem o qual você não pode viver sem, como moradia, supermercado, contas de utilidade pública etc. Já desejos são coisas que você quer mas são dispensáveis, como uma assinatura de tv a cabo, um jantar fora na sexta ou uma ida ao cinema;

     

  • Adote as compras inteligentes. Comprar com inteligência significa comprar aquelas coisas que você realmente precisa. Além disso, comprar itens de qualidade em vez dos mais baratos é outro tipo de compra inteligente.

     

  • Planeje seu orçamento e mantenha-se dentro de um limite. Se você deseja obter saúde financeira, é necessário criar um orçamento que o ajude a se manter dentro de certos limites. Você precisará seguir algumas etapas básicas para criar um orçamento, como mostraremos abaixo.

Fazendo seu planejamento financeiro

  1. Avalie sua renda. Calcule tudo, seu salário e outras fontes de renda (como juros, pensão alimentícia, renda de aluguel e assim por diante). Agora, some tudo para saber sua renda precisa por mês;

     

  2. Descubra suas despesas. As despesas podem incluir o pagamento de contas domésticas, como contas de eletricidade, gás ou água, faturas de cartão de crédito, pagamentos de seguro e assim por diante;

     

  3. Agora subtraia suas despesas de sua renda. Se você acha que está ganhando mais dinheiro do que gasta, ótimo, pois ajudará você a economizar ou pagar as dívidas. Mas se suas despesas são mais do que sua renda, é hora de reduzir algumas delas para evitar problemas;

     

  4. Você ainda pode seguir o plano de orçamento 50/30/20. Ponha de lado 50% do seu rendimento para satisfazer as suas necessidades, 30% para os desejos e 20% para economizar ou pagar dívidas.

 

2. Dê prioridade à construção de um fundo de emergência

Um fundo de emergência pode ajudá-lo muito em seu caminho para uma vida financeira sólida, mantendo dívidas sob controle. Além disso, pode ajudá-lo a cobrir as coisas para as quais você não se planejou, como despesas médicas, reformas domésticas ou reparos inesperados de automóveis.

Você pode fazer uso do seu fundo de emergência para lidar com essas situações difíceis sem que precise se endividar. Você pode abrir uma conta poupança separada em um banco digital para o fundo de emergência.

O ideal é que seu fundo consiga cobrir pelo menos 6 meses de seus gastos. Ou seja, ao fazer seu planejamento como te ensinamos acima, multiplique o seu custo de vida mensal por 6; este será o valor que você deve ter poupado em seu fundo.

3. Seja bastante realista ao estabelecer metas

Para obter uma saúde financeira, economizar é essencial. Poupar é um hábito e, a maioria de nós, não possui ele. Por isso, é preciso disciplina para começar e conseguir um equilíbrio entre gastar menos e economizar mais.

Um passo que pode te ajudar a criar esse hábito é estabelecer metas. Você pode definir dois tipos de objetivos:

  • Metas de curto prazo: esses objetivos são os que você gostaria de alcançar em um a dois anos. Eles podem incluir pequenas melhorias na casa, comprar móveis domésticos ou economizar para um carro novo;

     

  • Metas de longo prazo: são objetivos que você terá que poupar mais de 4 anos para atingir. Eles geralmente incluem a compra de um novo imóvel, um grande projeto de renovação da casa, educação dos filhos ou plano de aposentadoria.

Não importa quais sejam suas metas, você só precisa se certificar de que está definindo objetivos realistas e atingíveis. 

O hábito de poupar ajuda-o a viver uma vida financeira bem disciplinada. Então, comece a praticar a economia para melhorar sua saúde financeira. Como você vai começar? Aqui está o caminho:

  • Estabeleça metas (longo prazo ou curto prazo) apenas para ficar em uma pista de poupança.

     

  • Escolha as ferramentas certas. Para metas de curto prazo, você pode considerar o uso de uma conta poupança ou certificado de depósito, e para metas de longo prazo, pode ir para ações ou fundos mútuos.

     

  • Escolha um plano de economia automático no qual você não precisa se esforçar após a configuração. Além disso, ajudará você a controlar seu hábito de gastar e lidar com várias metas de economia de cada vez.

4. Pague as contas do cartão de crédito a tempo

Muitas pessoas não dão muita importância ao pagamento de suas faturas de cartão de crédito no prazo e isso é realmente um mau hábito. Afinal, o cartão ainda é um dos grandes responsáveis pela inadimplência no Brasil. 

Se você pertence a esta categoria, precisa alterar o curso agora, pois isso arruinará seu crédito e o manterá em dívida por mais tempo. Então, defina sua mente para pagar sua dívida a tempo. Siga as dicas abaixo para fazer seus pagamentos no prazo:

  • Faça um resumo de todas as contas;
  • Verifique quando seus pagamentos são devidos;
  • Crie um calendário e adicione pagamentos a ele;
  • Decida quanto você pode pagar;
  • Opte por um sistema de pagamento automatizado;
  • Configure lembretes no seu telefone ou no seu calendário.

5. Verifique seu relatório de crédito regularmente

Este ano você está buscando uma saúde financeira perfeita. Então, está fazendo desde o corte de despesas até o pagamento de todas as contas em dia. Mas com que frequência você verifica seus relatórios de crédito? Se você não puder responder a essa pergunta em 2 segundos, então é recomendável que você verifique sua pontuação regularmente.

Sua pontuação de crédito representa o quão bem o mercado financeiro te ve. Quanto melhor sua pontuação, mais chances você terá de conseguir empréstimos pessoais com juros menores e outros produtos financeiros interessantes para sua saúde financeira.

Verificar seu relatório regularmente te ajudará a:

  • Gerenciar suas finanças pessoais, como acompanhar seus gastos e economizar;
  • Impedir que você seja vítima de roubo de identidade;
  • Ter a chance de corrigir informações erradas, se houver;
  • Reconstruir e manter um bom crédito, que é a base principal de uma boa saúde financeira.

6. Procure fontes de renda extra para sua saúde financeira

Se ficar muito difícil para você cortar algumas despesas, uma opção é procurar alternativas para ganhar algum dinheiro extra. Você pode optar por um negócio secundário, se tiver uma nova habilidade que pode ser explorada ou usar aplicativos de transporte, como o Uber, caso tenha um carro e um tempinho sobrando.

Você também pode considerar qualquer tipo de freelancer para ganhar algum dinheiro e economizar mais. Ter uma fonte extra pode te ajudar nisso e a pagar dívidas mais rapidamente.

7. Cheque opções para pagar dívidas

Qualquer um pode cair na armadilha das dívidas, consciente ou inconscientemente; pode acontecer com todos. É por isso que será melhor você se familiarizar com as maneiras de reduzi-la. Existem duas opções quando falamos em aliviar sua dívida, sendo:

  • Negociação: o primeiro passo é negociar o que deve com o credor. Isso, muitas vezes, pode ajudar a reduzir o montante de juros devido e pagar menos no final. É importante que antes de negociar você saiba exatamente quanto pode pagar da dívida por mês e quando conseguirá liquidar o total — por isso, volte ao seu planejamento financeiro antes de entrar em contato com o credor;

     

  • Consolidação: para quem tem dívidas com credores diferentes, consolidá-las em uma só com juros menores é a melhor saída. Por exemplo, se você deve no rotativo do cartão de crédito, cheque especial mais uma parcela do financiamento do carro, pode fazer um empréstimo pessoal online com juros baixos para pagar todas as dívidas. Isso as consolidará em um só pagamento e poderá reduzir o montante total pago, uma vez que é possível cortar juros altos.

8. Cuide da sua saúde física e mental

Nós todos sabemos que “saúde é o que importa”, e para ter uma saúde financeira sólida é importante antes cuidar da sua saúde física e mental. Afinal, de que adianta ter dinheiro sem saúde para poder gastá-lo? Para isso, siga a tríade de uma boa saúde:

  • Coma bem e consuma alimentos e bebidas saudáveis.
  • Valorize suas noites de sono;
  • Se exercite regularmente.

O dinheiro não é tudo, mas é essencial para viver. Sem dinheiro, você é incapaz de administrar sua vida. Então, basta seguir as dicas acima mencionadas para construir uma base financeira sólida e levar uma vida pacífica!

CENTRAL DE ATENDIMENTO

Disponível entre às 10 e 1 9 horas em dias úteis.

+55 11 3132-7266

contato@geru.com.br

Geru.com.br pertence à Geru Tecnologia e Serviços S.A. (Geru), CNPJ 20.955.843/0001-59, com sede na Rua Inácio Pereira da Rocha, 514, Pinheiros, São Paulo, SP, CEP: 05432-011. A Geru não é uma instituição financeira: somos uma correspondente bancária do Banco AndBank (Brasil) S.A. inscrito no CNPJ sob o Nº48.795.256/0001-69 e do Banco CBSS SA, inscrito no CNPJ sob o Nº 27.098.060/0001-45 nos termos da Resolução no 3.954, de 24 de fevereiro de 2011. Prazo de pagamento: de 12 meses a 36 meses. O custo efetivo pode variar de 2,00% a.m. (26,82% a.a.) até 9,50% a.m (197,15% a.a.). Exemplo: um empréstimo de R$ 10.000,00 em 24 meses terá parcelas de R$ 618,48, um valor total de R$ 14.843,52, juros de 3,4% a.m. (49,9% a.a.) e CET de 4,2% a.m (64,4% a.a.). Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com os critérios de aprovação de crédito da instituição financeira. Acesse nossas demonstrações financeiras por meio dos seguintes links: 20152016 e 2017.

%d blogueiros gostam disto: