Escolha uma Página Menu

O assunto do momento é o PIX. A Geru traz esse tema para o blog com o objetivo de esclarecer algumas dúvidas e orientar um pouco mais sobre a funcionalidade dessa ferramenta que vem mudando o mercado financeiro e seus meios de pagamento. Vamos para a leitura.

1 – O que é PIX

Simplificando: o PIX é um novo sistema de pagamento instantâneo, gratuito e que funciona 24 horas por dia. Com essa nova ferramenta é possível fazer transferências e compensar boletos até nos finais de semana e feriado.

Na essência, este modelo está completamente focado em pagamentos digitais, com o uso de celular e aplicativos financeiros – tudo de forma praticamente instantânea, utilizando apenas uma única informação, a chamada “chave”.

As chaves são maneiras de identificar o usuário dentro do ecossistema PIX. Elas funcionam como um endereço da sua conta no novo sistema, um apelido, ou um @ de Instagram, por exemplo.

 

2 – Como utilizar?

A utilização do PIX é simples, veja os passos:

1 – Acesse o aplicativo do seu banco ou Instituição cadastrada (exemplo: Magazine Luiza, Pic Pay e Mercado Livre);
2 –
Logo no início você verá que existe uma aba específica para o PIX. Nela você tem acesso ao cadastro e ao guia de informações;
3 –
Escolha uma chave para seu cadastro, pode ser seu CPF, e-mail, telefone ou chaves aleatórias. Lembre-se que você não pode repetir chaves em diferentes Instituições.
4 –
Aguarde a aprovação da sua chave;
5 –
Pronto! Você já está cadastrado. Agora é só oferecer sua chave a alguém quando for receber uma transação e, pedir a chave do outro quando for realizar uma transação.

3 – Quais os benefícios?

 Uma pesquisa realizada pelo IBOPE revelou que 60% dos brasileiros consideram o PIX  melhor que TED e DOC. Ou seja, mais da metade da população acredita que, por ser rápido e gratuito, o PIX traz mais benefícios do que as outras transações.

Sendo assim, podemos considerar que os melhores benefícios são:
– Serviço 100% gratuito;
– Rapidez em negociações e pagamentos;
– Facilidade de cadastro;
– Seguro.

O Banco Central organizou uma página em seu site que aborda com prioridade cada detalhe sobre os benefícios do PIX, incluindo itens técnicos e normas burocráticas que abrangem o PIX. Confira aqui.

4 – O PIX é seguro?

O Banco Central, responsável pela implementação da ferramenta, garantiu que o PIX é tão seguro quanto outros tipos de transações. Além disso, é também dever das Instituições Financeiras garantir camadas extras em seus sistemas a fim de evitar falhas internas.

Vale lembrar que as transações feitas pelo PIX estão protegidas e contempladas na Lei Complementar nº 105/2001, do Sigilo Bancário – e também estão dentro da Lei Geral de Proteção de Dados nº13.709/2018. Ou seja, as Instituições não podem vender os dados de clientes para terceiros, nem compartilhar informações sem consentimento do cliente.


5 – No fim das contas, o PIX é bom para quem?

Você deve estar se perguntando quem realmente está ganhando vantagem com o PIX e a resposta é: você! 
O PIX só está acontecendo agora graças as novas tecnologias que estão surgindo. A concorrência entre Instituições Financeiras tem aumentado e, com isso, novos serviços e produtos estão surgindo. O público está mudando e, segundo Fernando Galdi, em um trecho publicado pelo veículo ‘A Gazeta’, “Aquele banco tradicional em que o cliente fica horas na fila para sacar e fazer um pagamento está fadado a sumir. É uma nova realidade. As pessoas querem bom atendimento, bons serviços e custos baixos. E isso está começando a acontecer.”

E você, já está usando o PIX? Comente abaixo sua experiência. E, para saber mais sobre assuntos do momento, continue acessando nosso blog.

%d blogueiros gostam disto: