Escolha uma Página Menu

Você é um comprador compulsivo? Saiba como isso impacta suas finanças

22 out 2019 | Finanças

É muito comum ver pessoas fugindo um pouco de seu orçamento e comprando itens que não estavam planejados. Pode ser uma resposta impulsiva à uma promoção que pareça muito boa ou simplesmente um descuido. O comportamento do comprador compulsivo, entretanto, vai muito além de apenas fazer algumas compras fora do orçamento e pode levar a problemas sérios, tanto emocionais quanto financeiros. 

Segundo dados do Instituto de Psiquiatria da USP (Universidade de São Paulo), transtornos relacionadas à compra compulsiva podem atingir cerca de 5% da população.

Quem sofre desse mal muitas vezes não percebe suas ações como problemáticas, mas acaba sentindo as consequências mais cedo ou mais tarde. Os hábitos do comprador compulsivo impactam no orçamento e podem virar uma bola de neve muito rápido. Isso prejudica relacionamentos interpessoais e a economia doméstica, levando à problemas maiores e tornando o ciclo cada vez mais difícil de ser quebrado. 

É de muita importância saber reconhecer esses comportamentos e quais atitudes tomar diante deles. O comprador compulsivo pode ser você, um membro da sua família ou um amigo, e em qualquer caso é possível estar preparado para ajudar e recuperar o dano. 

Continue lendo e entenda melhor essa condição e o que pode ser feito.

O que é um comprador compulsivo?

O transtorno de compra compulsiva — chamada de oniomania — é um problema de ordem psicológica, caracterizado pela falta de controle sobre as compras. Quem tem esse transtorno não consegue parar de comprar, mesmo que tente, e acaba utilizando as compras como válvula de escape para outros problemas.

O problema pode apresentar diferentes níveis de gravidade, podendo ser ou não um problema sério de saúde. Há casos mais simples, em que a pessoa gasta mais do que ganha e acaba contraindo pequenas dívidas. 

Porém, nos casos mais graves, o comprador compulsivo perde totalmente o controle das suas finanças e começa a experimentar sentimentos como frustração, ansiedade, vergonha e raiva. Ainda que perceba o problema, esse comprador compulsivo não consegue parar.

Mesmo quando não se trata de um transtorno sério de saúde, o comprador compulsivo provavelmente terá problemas financeiros e terá seu orçamento comprometido. Por isso, o problema deve ser reconhecido e tratado o quanto antes.

8 maneiras de reconhecer se você é um comprador compulsivo

Veja alguns hábitos que caracterizam o comprador compulsivo:

  1. Aumento progressivo do volume de compras;
  2. Tentar parar de fazer compras mas não conseguir;
  3. Recorrer às compras quando está chateado ou irritado por algum motivo;
  4. Tentar esconder as compras de outras pessoas;
  5. Mentir sobre o valor dos itens comprados;
  6. Estar com as finanças comprometidas e, mesmo assim, continuar comprando;
  7. Sentir vergonha ou frustração depois das compras;
  8. Adquirir itens que não precisa e que nunca vai usar.

Se você reconhece alguns desses comportamentos em si mesmo ou em outras pessoas, é bom procurar ajuda o quanto antes. É possível que eles estejam indicando uma compulsão por compras que pode ter consequências bastante negativas, como explicaremos a seguir. 

Como compras compulsivas podem prejudicar suas finanças

O hábito de comprar por impulso tem várias consequências negativas, sendo o lado financeiro a primeira e mais perceptível. Se você gasta mais do que ganha e não consegue limitar seus gastos, invariavelmente terminará o mês no negativo.

As compras compulsivas são um dos principais inimigos de quem quer manter a saúde financeira. Mesmo que você não tenha um transtorno grave nesse sentido, comprar sem planejamento já pode estar sendo um problema.

Se você não consegue pagar a fatura do cartão de crédito por completo, ou termina o mês no cheque especial, provavelmente já está comprando mais do que deve. Com o tempo, a situação pode se agravar e você pode ter problemas sérios de crédito, ficar com o nome sujo e entrar numa bola de neve de dívidas e juros.

Além disso, um quadro de compras compulsivas pode vir a ter inúmeros impactos negativos também na vida pessoal e profissional. O comprador compulsivo, exatamente por não ser capaz de lidar com tranquilidade com suas compras, pode acabar comprometendo seus relacionamentos com mentiras ou comportamentos de esquiva (não querer conversar sobre isso com ninguém, pode exemplo, pode ser um indicativo muito sério do problema). 

Para evitar que as compras compulsivas atrapalhem seu orçamento e seu planejamento financeiro, é fundamental estabelecer um limite de gastos para as compras. A ideia não é cortar completamente todas as compras, mas comprar de forma consciente.

Todos os meses, separe uma parte da sua renda para fazer compras — faça as contas e determine um valor adequado à sua realidade. Uma vez atingido o limite, você deve manter a disciplina e não se render a liquidações, promoções e anúncios, mesmo que eles pareçam irresistíveis.

Mas se o seu caso ou o caso de alguém que você conheça for mais grave e não seja possível remediar somente com esse tipo de controle, talvez seja o caso de buscar ajuda mais especializada. 

Como superar uma compulsão por compras

A compulsão por compras é um transtorno mais comum do que se imagina, e você não está sozinho. Se detectou que algum desses comportamentos fazem parte da sua rotina, é hora de começar a mudança. Você pode começar tomando atitudes como:

  • Cancele a maioria dos seus cartões de crédito e fique com no máximo um deles, com um limite baixo e que caiba no seu orçamento;
  • Faça o seu orçamento mensal e identifique quanto por mês você tem para gastar com compras e faça de tudo para se manter dentro do limite;
  • Quando sair, leve apenas o dinheiro necessário para o que precisa naquele dia, deixando cartões de débito e crédito em casa;
  • Cancele o envio de qualquer catálogo de promoção por correio ou por e-mail;
  • Faça uma lista de metas financeiras e leia-as com frequência para motivar a diminuição dos gastos;
  • Divida o problema com alguém de confiança e peça ajuda para controlar os gastos;
  • Se necessário, busque ajuda profissional com um terapeuta.

Se você é um comprador compulsivo ou está percebendo sinais de que seus gastos estão saindo do controle, não precisa ficar desesperado. Você não é o único com esse problema e sempre existe uma solução. Com esforço, disciplina e, se necessário, com ajuda profissional, você pode retomar o controle e reverter esse quadro.

E, finalmente, é muito importante saber diferenciar compras impulsivas de compras que realmente podem ou precisam ser feitas. A compulsão por compras pode ser superada, mas tão importante quanto atingir estabilidade financeira é entender também o emocional. Quem compra por impulso o faz para suprir alguma necessidade ou escapar de algum sentimento que vai além da compra somente. 

Então, se você ou alguém próximo está demonstrando esse tipo de problema, é muito importante que ele seja tratado com respeito e empatia, mirando sempre na saúde e bem estar. 

E então, você quer ficar mais consciente sobre seus gastos e alcançar a tão sonhada estabilidade financeira? Continue lendo e descubra 7 passos para uma vida financeira mais saudável!

%d blogueiros gostam disto: