Escolha uma Página Menu

Como viver com pouco dinheiro e ainda aproveitar

13 fev 2020 | Finanças

Vivemos em um sistema capitalista, o que significa que muitas das nossas atividades do dia a dia envolvem a transação de dinheiro. Desde lazer até a solução de problemas, dinheiro parece estar envolvido em todos os aspectos de nossa vida e, dessa maneira, parece difícil imaginar como viver com pouco dinheiro sem que isso comprometa a qualidade e conforto com o qual vivemos. 

Pensando nisso, é fácil chegar à conclusão de que é necessário gastar cada vez mais dinheiro para melhorar de vida, mas isso não é necessariamente verdade. É possível viver de forma mais frugal, economizar e ainda se sentir bem, confortável e se divertir. Quem saber como? É só seguir a leitura. 

O equilíbrio entre economizar e aproveitar

A vida adulta vem rápido demais e, ainda por cima, traz desafios que não eram esperados ou frequentes em outras fases de nossas vidas. Sabendo disso, é necessário que, com foco e determinação, o lado financeiro seja bem estruturado e, consequentemente, traga bem-estar, tornando essa duradoura fase da vida um pouco menos estressante. 

Muitos hábitos podem ser difíceis de serem modificados, principalmente se eles já estão conosco há muito tempo, mas não é impossível. É preciso compreender que, com pequenas mudanças no dia a dia, é possível melhorar a qualidade de vida e economizar uma boa parcela de dinheiro.

É importante lembrar, também, que a felicidade não depende, necessariamente, dos bens materiais que temos, tornando isso algo banal e facilmente substituível por outros elementos que podem fazer tão bem quanto.

Liberdade financeira e emocional

Com a correria da rotina é muito comum que fiquemos estressados e tomemos decisões de maneira impulsiva e, até mesmo, prejudicial. Alimentar-se fora de casa, comprar o carro do ano, trocar de celular… será que tudo isso é mesmo necessário?

Com a pressão social e o capitalismo reverberando em todos os locais, não é muito difícil responder essa pergunta no automático. Por esses e outros motivos, vamos ensinar como viver com pouco dinheiro e ainda aproveitar.

Defina suas necessidades

A confusão entre necessidade e desejo é muito comum. Se isso for repensado da maneira correta, será completamente possível contornar uma situação financeira complicada.

Pergunte-se sempre onde você quer chegar com determinada aquisição, se ela realmente é necessária ou se é possível esperar mais um pouco para obtê-la. Além disso, também se faz importante questionar se a compra irá influenciar, de alguma forma, em seu bem-estar e felicidade. 

Também pode ajudar avaliar como você se sentiu com suas últimas compras, sejam elas pequenas ou grandes. O sentimento de euforia da compra se manteve por muito tempo? Aquele item ou serviço teve um impacto positivo duradouro? Esses questionamentos podem ajudar a perceber como muitos gastos são na verdade band-aids para feridas maiores.

Liste suas metas

Esse tópico faz um pouco de referência ao anterior, principalmente porque para se ter uma meta, é estritamente necessário saber quais os próprios objetivos.

Tendo metas traçadas, será possível se organizar financeiramente e, além disso, ter a satisfação de poder alcançar algo que foi almejado. Outra dica importante é não definir metas com prazos muito longos, pois as chances de desistência são muito maiores.

Coloque tudo na ponta do papel

É importante que os gastos sejam registrados para que nada saia do seu controle, principalmente se o seu salário não atingir grandes patamares. Ao decidir sobre os gastos mensais, faça uma lista de quais são estritamente necessários e quais podem esperar, caso sobre pouco dinheiro. Também é importante não gastar mais do que se tem, de fato, e deixar uma reserva para imprevistos.

Analise os gastos

As necessidades básicas são gastos mais do que necessários. Fazer a feira, pagar a água, a luz, o telefone, a faculdade e a conta do celular são itens básicos e fixos e que já tomam boa parte do orçamento mensal.

Por isso, avalie e pense o que você pode fazer para pagar valores menores nessas contas. Será que passar mais tempo com a luz desligada em períodos de grande luminosidade irá fazer com que a conta de energia venha mais baixa? Questione-se acerca de todos esses pontos.

Saiba o destino da renda

Responda sinceramente: você já parou pra pensar para onde vai o seu dinheiro? Será que você está gastando além do necessário?

Ao fazer uma checagem no seu financeiro ficará muito mais fácil saber por onde o mau uso do dinheiro está começando, principalmente se, mesmo que seja uma pequena parcela, esteja fazendo falta para pagar contas essenciais do dia a dia.

Realize atividades mais baratas

Com a diversão, consequentemente, vem os gastos. Por isso, antes de escolher um programa para encarar no fim de semana ou no fim do dia, avalie se o valor utilizado realmente vale a pena.

Por que ir a um restaurante com pratos tão caros? Será que um mais barato não terá os mesmos efeitos? É realmente necessário ir ao cinema mais de 4 vezes ao mês? Não seria melhor direcionar os valores gastos com coisas mais importantes ou mesmo outras atividades? Ao fazer um questionamento para si mesmo, a garantia de economia é muito maior.

Além disso, existe uma grande variedade de atividades que podem ser feitas com pouquíssimo dinheiro ou muitas vezes totalmente de graça. Preparar lanchinhos e passar uma tarde em um parque, exposições e apresentações gratuitas de diferentes estilos de arte, organizar uma reunião de amigos próximos na casa de alguém são bons exemplos de como viver com pouco dinheiro mas aproveitar a companhia de quem se ama, ou muitas vezes a sua própria companhia. 

Saiba o que é prioridade

Imagine a seguinte situação: você está precisando muito de um carro para ir ao trabalho, visto que o uso de transporte coletivo acaba por fazer com que se atrase para os compromissos ou, mesmo, pela falta de qualidade. Embora saiba disso, você pensa em trocar de celular, porque a marca que mais gosta acaba de lançar um modelo de destaque no mercado, mas o que você já tem continua funcionando perfeitamente.

E então, você prefere comprar um celular novo apenas pelo modelo ou escolheria juntar dinheiro para suprir necessidades que fariam mais diferença no seu dia a dia?

O que falta em muitas análises é a definição de prioridades. Antes de fazer qualquer coisa, sempre pense: “será que eu realmente preciso disso ou há algo mais importante para se fazer com o dinheiro?”.

Entenda suas limitações

Se você ganha uma determinada quantia mensalmente, o saudável é que os gastos básicos mencionados acima tomem, no máximo, 30% dessa renda. Conforme essa porcentagem aumenta, vai ficando cada vez mais complicado manter o estilo de vida – e isso pode acarretar diversos problemas. 

Contas atrasadas ou viver do rotativo do cartão de crédito são bons exemplos disso: sintomas de uma saúde financeira comprometida, essas coisas significam que além de estar gastando mais do que ganha, você está pagando juros em cima desses valores. 

Por isso, avalie sua renda como ela é, não como você gostaria que fosse. Isso vale para o quanto você está pagando de aluguel e condomínio, em serviços diversos como internet e televisão, entre outros. 

Faça uma reserva emergencial

O futuro é incerto e todos nós sabemos disso. É exatamente por isso que, em um momento de necessidade, uma reserva de emergência é essencial para que a situação não se agrave ainda mais. Você pode buscar diversas soluções para gastar menos e continuar aprendendo mais sobre isso. 

Entenda como pode melhorar a situação financeira

É muito difícil sobreviver, na atualidade, com o que temos, mas, se analisarmos melhor a nossa situação e as oportunidades que nos cercam, essa realidade pode ser modificada em pouco tempo.

Sabendo disso, use um pouco de seu tempo livre para se dedicar a hobbies, pegar alguns trabalhos como freelancer e, consequentemente, aprender com as novas experiências e ainda ganhar um dinheiro extra no fim do mês que poderá salvar a sua vida financeira.

Compreenda a sua própria situação e não desanime

Mudar hábitos nem sempre pode ser uma atividade muito agradável, principalmente se eles já o acompanham durante muitos anos. Embora a tarefa seja árdua, não é impossível e a força de vontade conta bastante na hora de tomar uma decisão mais radical.

Por isso, não fique desanimado caso precise viver com um orçamento mais apertado e com um salário mais baixo, pois, ao seguir algumas das dicas, você conseguirá viver com menos e ainda aproveitar bastante.

Além de economizar dinheiro e conseguir ter um pouco de diversão, você certamente se sentirá melhor, mais feliz, pois viver com menos traz uma sensação incrível de liberdade. 

Ao negar os fatos e encarar as possibilidades de maneira pessimista, ficará muito mais difícil promover mudanças relevantes e significativas em sua rotina. Sendo assim, é muito mais interessante que você mergulhe nas opções de melhoria.

Comprar itens populares (mas de qualidade!) no lugar de itens de luxo pode fazer com que você viva de modo mais feliz e com uma saúde financeira muito melhor. Considere que viver com menos dinheiro é um desafio a ser superado e, além disso, pode se tornar uma aventura, movimentando a vida e deixando tudo com um ar mais desafiador, fazendo, assim, com que a motivação surja.

Coma alimentos da estação

Ao aprender como viver com pouco dinheiro, não será necessário arriscar a sua saúde. Os alimentos ofertados em determinada época do ano sairão bem mais baratos do que os importados. Além disso, esse tipo de alimento costuma ser mais fresco.

Vá à feira ao fim do dia. A famosa xepa pode ser uma ótima alternativa para quem quer comer bem e, de quebra, deixar um dinheiro guardadinho no bolso. Ficar de olho promoções em supermercados também é uma opção.

Dê uma olhada na bagunça

Ao decidir adotar novos hábitos é possível encontrar coisas que você sequer lembrava da existência e que, agora, poderão fazer parte da sua rotina. Além de economizar dinheiro, será possível ajudar o meio ambiente com a questão da sustentabilidade.

Além disso, adotar novos hábitos, como se doar, vender ou reutilizar itens em desuso, pode promover uma real melhora na qualidade de vida sua e da família, reduzindo os níveis de estresse, proporcionando um maior espaço para a circulação.

Como viver com pouco dinheiro e ser feliz

No fim das contas, não é necessário viver com rios de dinheiro para ser feliz. Algumas coisas estão na simplicidade do momento e, quem sabe, na vida com poucos luxos. Ao viver com menos, além da economia, os níveis de ansiedade e estresse podem ser reduzidos, proporcionando uma melhor qualidade de vida.

Quando estiver livre das dívidas ou passando por uma situação mais tranquila financeiramente, verá que todo o esforço valeu a pena.

A felicidade está desenhada entre o necessário e o superficial, sendo o equilíbrio e a estabilidade um dos caminhos para uma vida melhor.

 

Aqui na Geru, queremos te ajudar a entender melhor o mundo financeiro e prezamos por informações completas e claras. Se você gostou desse conteúdo e quer continuar aprendendo, acompanhe nosso blog e não perca nenhuma novidade.  

Nós queremos te ajudar a realizar seus sonhos, de forma fácil e confiável. Venha simular um empréstimo com a gente:

%d blogueiros gostam disto: